Tuía de jardim

Descrição:
Planta da família das Cupressaceae, também conhecida como pinheiro de cemitério, árvore-da-vida, cedrinho, ciprestes, tuia americana.
Trata-se de árvore frondosa, de ramos folhosos mais ou menos horizontais e com copa no formato de pirâmide. Seu crescimento é lento e pode atingir até 20 metros de altura.
As folhas, tipicamente escamadas, são sempre verdes ou raiadas de amarelo, possuindo uma glândula saliente. Produz cones masculinos e femininos no mesmo pé, de formato levemente globoso, que se abrem quando maduros, apresentando várias sementes.
Os ameríndios usavam a tuia para problemas como dores de cabeça, febre e reumatismo e queimavam-na para “limpar” o ar. A tuia é sobretudo usada em verrugas, embora seja útil noutros problemas infecciosos, especialmente na sinusite, abcessos nos dentes, bronquite, cistite e infecções fúngicas.
Parte utilizada:
Ramos
Origem e Habitat:
Nativa da América do Norte – Canadá, EE.U.U. (especialmente o estado da Virgínia) encontra-se no Brasil como planta ornamental exótica, está bem adaptada, em locais mais altos do sul e sudeste brasileiro.
O cultivo da tuia
É extremamente rústica, não requerendo cuidados especiais, adaptando-se a diferentes tipos de solo, zonas de invernos rigorosos e prolongados.
O plantio é feito por sementes. A colheita deve ser feita no final do inverno ou do outono. O seu aroma é canforáceo.
Fonte:
UTAD.
Anúncios