Sobreiro

Nome científico:
Quercus suber L.
Família:
Fagaceae.
Publicação:
1753.
Sinónimos:

Q. occidentalis Gay.

Distribuição geográfica:
região mediterrânica ocidental. Em Portugal ocorre em todo o país com maior abundância à medida que se caminha para sul.
Caducidade:
Persistente.
Altura:

Até 25m, normalmente de 10 a 15m.

Longevidade:
Normalmente entre os 150 e 200 anos.
Porte:
Árvore de copa ampla, arredondada, algo irregular.
Ritidoma:
Acentuadamente suberoso (produção intensa de súber, vulgo cortiça).
Folhas:
Simples, alternas, oblongas, de margem inteira ou ligeiramente serradas; página superior sem pêlos de cor verde ou verde acinzentada; página inferior esbranquiçada por uma densa pelagem; de 2,5 a 10cm x 1,2 a 6,5cm.
Estrutura reprodutiva:
Amentos masculinos peludos; fruto, bolotas algo largas e peludas no ápice, com interior do endocarpo desprovido de pêlos (ou quase) com escamas deitadas e densamente enfeltradas.
Floração:
Abril, Maio.
Maturação dos frutos:
de Setembro a Janeiro.
Habitat e ecologia:
Montados, bosques em clima mediterrânico, tendendo a rarear em solos derivados de calcários. Ocorre desde os 0 até aos 1200m podendo chegar aos 1500m. Espécie de luz. Necessita de uma média de precipitação anual superior a 400mm, mas os melhores bosques dão-se entre 600 e 1000mm por ano. Precisa de humidade ambiental. Temperaturas desejáveis no inverno superiores a 0ºC e no verão superiores 18ºC.
Usos e costumes:
A sua capacidade de produzir abundante cortiça e de resistir à sua extracção permitem a subericultura, essa incomparável forma de explorar a floresta. As bolotas são muito usadas para a alimentação de porcos. A cortiça é usada na produção de rolhas, na construção, etc. É retirada das árvores pela primeira vez aos 25 – 30 anos e depois regularmente de 10 em 10 anos
.
Modos de propagação:
Por semente: Deve apanhar-se as bolotas do chão ou da árvore, desde que não seja necessária muita força para as arrancar. É aconselhável usar as bolotas maiores e mais pesadas (as que flutuarem na água não estão em boas condições). As bolotas perdem rapidamente a sua viabilidade se deixá-las secar. Depois de enterradas deve-se protegê-las de ratos, javalis, etc. Podem ser armazenadas num local fresco e com humidade no interior. Também pode plantar algumas sementes em vasos fundos. As plantas produzem uma raiz profunda, logo têm de ser mudadas para as suas posições finais o mais rápido possível. Na verdade as bolotas plantadas in situ produzirão as melhores árvores.
Designação inglesa / espanhola:
Cork oak / Alcornoque.

 

 

Anúncios